Exploração sexual de adolescente

Dona de casa de prostituição é presa em ação da Polícia Civil no Sul do Estado

09/05/2019 08h49 - Atualizado em 09/05/2019 09h15
Foto: Divulgação

Na madrugada desta quarta-feira (8), a Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Central de Atendimento da Polícia Civil de Alvorada, prendeu em flagrante delito uma mulher de inicias N.F.O, de 50 anos, proprietária de "Casa de Prostituição" na cidade, e a garota de programa N.O.A.S, de 19 anos, pelo crime de exploração sexual de adolescente.

De acordo o delegado plantonista responsável pelo procedimento, João Paulo Ribeiro, o Conselho Tutelar da cidade de Alvorada havia recebido uma denúncia informando que, no referido estabelecimento comercial, haviam adolescentes se prostituindo.

Com a comunicação do fato à Polícia Civil, equipe da Central deslocou-se ao imóvel e confirmou a veracidade da informação, com a verificação de que B.H.B.B.M, de 17 anos, estava no local há cinco dias se prostituindo.

Segundo o delegado, a adolescente contou que havia deixado a sua família em Anápolis (GO) e foi para Alvorada acompanhada da garota de programa N.O.A.S, também presente no estabelecimento e autuada em flagrante com a proprietária, que, por sua vez, confessou o recebimento de R$ 30,00 (trinta reais) por programa.

Na Delegacia, a proprietária do estabelecimento contou que suspeitava de que a jovem fosse menor de idade, inclusive, chegou a pedir que ela apresentasse o documento de identidade, mas acabou confiando na palavra da jovem, que dizia ter mais de 18 anos e teria esquecido o RG em casa.

Segundo o delegado, a versão dada pela senhora não exclui a sua responsabilidade penal, porque ao submeter à garota à prostituição nesta condição, sem nenhum documento que comprovasse a sua idade, ela acabou assumindo o risco de cometer o delito.

Os policiais civis ainda encontraram uma pequena porção de maconha no interior do quarto onde a adolescente estava hospedada.

Após os procedimentos policiais, as duas mulheres foram encaminhadas à Cadeia Feminina de Talismã/TO, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Por: Rogério de Oliveira/Governo do Tocantins

Veja Também