Guarani 0 × 1 Coritiba

Wilson marca nos acréscimos, e Coritiba vence o Guarani

12/06/2019 08h27 - Atualizado em 12/06/2019 09h10
Foto: Divulgação

O Coritiba conseguiu uma vitória suada diante do Guarani. Em um jogo tecnicamente fraco dos dois lados com direito a gol anulado por ‘falta de fair play’, a vitória só foi confirmada com Wilson salvando o time, assinalando um pênalti pênalti, aos 45 da etapa final e garantindo o 1×0, nesta terça-feira (11), no Brinco de Ouro da Princesa.

O resultado, aliviou os ânimos no clube, que viajou sob muita pressão. Agora, o Coxa sobe para 12 pontos e segue na cola do G4 da Série B. O Alviverde agora tem um mês para ‘ajeitar a casa’, voltando a campo no dia 13 de julho, diante do Criciúma, em Santa Catarina.

Ainda que estivessem pressionados na competição e precisassem da vitória, as equipes começaram o jogo em um ritmo mais lento, não representando perigo para os adversários. O Coritiba, mesmo que não conseguisse mostrar um bom repertório para chegar à área do Bugre, tinha mais posse de bola, mas faltava qualidade na criação e finalização de jogadas.

Aos 13 minutos, o zagueiro Sabino arriscou um chute de longe, a bola desviou e acabou saindo pela linha de fundo. Quando a partida parecia estar morna um lance polêmico fez os ânimos se exaltarem.

Aos 23, o Coxa abriu o placar provisoriamente com Rodrigão, mas a origem do passe para o camisa 9 gerou muita reclamação. Em um lance anterior, o árbitro Leo Simão Holanda paralisou o jogo para atendimento médico para o goleiro Wilson. Na retomada da partida ,o juiz deveria dar a posse de bola para o Guarani, porém deu ‘bola ao chão’ para o Coritiba. Sávio deu um chutão pra frente, a defesa do Bugre ficou parada e Rodrigão aproveitou a oportunidade para dominar e mandar para o fundo das redes.

Assim que balançou as redes, o centroavante foi cercado por jogadores adversários que reclamaram da atitude do atleta de não deixar a devolução da posse de bola acontecer. O juiz também passou a ser muito questionado e depois de muita confusão, com interferência do quarto árbitro, Leo Holanda optou por anular o gol. O jogo ficou paralisado por sete minutos até que a decisão fosse tomada.

Com a bola novamente rolando, os times mostraram mais agressividade para buscar o gol, mas, sem apresentarem habilidade, o primeiro tempo acabou zerado.

A segunda etapa escancarou as deficiências técnicas de Guarani e Coritiba e em um jogo muito truncado, com poucos lances isolados de perigo e finalizações que deixaram a desejar, o placar não parecia ser alterado.

Rodrigão até teve uma chance, aos 13, quando os zagueiros não dominaram a bola e o centroavante conseguiu avançar. Porém, de frente com o goleiro, como demorou muito para chutar, a defesa conseguiu se restabelecer e afastar o perigo.

O duelo, aliás, parecia um show de horrores, com erros dos dois lados, principalmente lá na frente. Os próprios atacantes se atrapalhavam.

Quando parecia que a partida terminaria zerada, Nathan, aos 44, foi derrubado dentro da área, Wilson converteu o pênalti e deu a vitória tão suada pro Coxa, que vai para parada da Copa América mais aliviado.

Fonte: A Tribuna PR


Veja Também