Para coibir transporte ilegal de suínos

Tocantins intensifica trabalhos nas barreiras para evitar Peste Suína Clássica

12/07/2019 14h03 - Atualizado em 12/07/2019 14h13
Foto: Divulgação Adapec
Tocantins tem intensificado a fiscalização de trânsito nas barreiras fixas, que fazem divisa com o Maranhão, Pará e Piauí, para prevenção da Peste Suína Clássica.

As barreiras estão atentas para coibir o transporte ilegal de suínos, produtos e subprodutos, pois é proibido o ingresso desses materiais de áreas consideradas não livres para a doença para o Tocantins.

O Estado está em alerta para prevenir a entrada da Peste Suína Clássica (PSC) em seu território. O trabalho nas barreiras foi intensificado e tem surtido efeito. Na manhã desta sexta-feira, 12, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), apreendeu carne de suíno e queijos durante fiscalização na barreira fixa zoofitossanitária de Xambioá. Os produtos, apesar da pequena quantidade encontrada, não tinham procedência e estavam mal acondicionados em um micro-ônibus. O motorista e o dono carga foram notificados e os alimentos inutilizados no aterro sanitário.

De acordo com o supervisor da área animal, Marques Barbosa, nesse período de férias o rigor na fiscalização de trânsito foi aumentado, principalmente por conta dos riscos da PSC, já que o estado do Piauí registrou 16 focos da enfermidade e o Ceará 47 focos. “Estamos em alerta e passando um pente fino, pois é proibido ingresso de suínos, produtos e subprodutos de zona não livre da PSC para o Tocantins”, ressaltou.

Marques Barbosa disse ainda que as ações têm sido intensificadas nas barreiras fixas que estão na divisa com o Pará, Maranhão e Piauí, que fazem parte da zona não livre da doença. São as barreiras de Porto Lemos, Xambioá, Araguanã, Aguiarnópolis e Filadélfia. “Nas abordagens se forem identificados produtos de origem animal sem a documentação sanitária, também serão apreendidos”, explicou.

Peste Suína Clássica

A PSC, também conhecida como febre suína ou cólera dos porcos, é uma enfermidade contagiosa causada por vírus e muitas vezes fatal aos suínos. Não é transmitida ao homem. Os principais sintomas nos animais são: depressão e febre alta, hemorragias, regiões avermelhadas, entre outras.

Vale lembrar que o criador de suídeos ao identificar qualquer suspeita da doença deve comunicar imediatamente a Adapec. Outra orientação é não trazer suínos e seus produtos de outros estados não livres da PSC. O Tocantins é livre intencionalmente e nunca teve registro da doença.

Área livre da PSC

Segundo o Ministério da Agricultura, a zona livre de PSC do Brasil inclui o Distrito Federal e 15 estados (RS, SC, PR, MG, SP, MS, MT, GO, RJ, ES, BA, SE, TO, RO e AC).

Dinalva Martins-Governo do Tocantins

Veja Também