Política econômica

Projeção de crescimento do PIB em 2019 aumenta de 0,85% para 0,90%

08/11/2019 09h01 - Atualizado em 08/11/2019 09h04
Foto: Ilustrativa

A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia revisou de 0,85% para 0,90% a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil de 2019. Em relação à inflação (IPCA), a trajetória de queda se manteve, e a estimativa para o indicador no ano passou de 3,62% para 3,26%.

Essas projeções constam na atualização do Boletim Macrofiscal, divulgado nesta quinta (7/11) em Brasília (DF). O boletim traz os indicadores macroeconômicos da grade de parâmetros que fundamentam o orçamento federal e as principais projeções para o ano, bem como analisa a conjuntura macroeconômica e fiscal do país.

Ambiente favorável

O secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, ressaltou, durante a entrevista coletiva de divulgação do boletim, que é observado no crescimento positivo da economia o efeito “crowding in”, que significa que o setor privado está retomando os investimentos, enquanto o setor público vem retraindo os gastos.

“Esse efeito aponta que estamos no caminho certo, consolidando um crescimento sustentável com ganho na produtividade”, destacou. Sachsida salientou que o crescimento do PIB puxado pelo setor privado demonstra confiança do mercado no esforço do governo em fazer o ajuste fiscal e implementar as reformas administrativas necessárias para conter o endividamento público.

 “A Nova Previdência (PEC 06), a aprovação da Medida Provisória da Liberdade Econômica, convertida na Lei 13.874/2019, o Novo FGTS e as propostas de emendas constitucionais entregues ao Congresso Nacional nesta semana contribuíram significativamente para a criação de um ambiente não apenas de equilíbrio fiscal, mas de reduções de distorções econômicas que diminuíram a produtividade do país”, avaliou.

O subsecretário de Política Macroeconômica, Vladimir Kühl Teles, enfatizou que o arrefecimento da inflação tem permitido a redução da taxa básica de juros, favorecendo o dinamismo da atividade econômica. A projeção contida na grade de parâmetros para o IPCA de 2019 é de 3,26%, abaixo do centro da meta de inflação de 4,25%. “A redução estrutural da taxa de juros, inflação sob controle e maior confiança de empresários e consumidores estimulam o empreendedorismo privado no país”, disse.

Setores econômicos

Segundo Teles, os setores da indústria, agropecuária, serviço e comércio vêm apresentando recuperação significativa. Na projeção de curto prazo para o terceiro trimestre de 2019 em relação a igual período do ano anterior, o crescimento estimado na indústria é de 0,17%, impulsionado pelo setor extrativista. Já na agropecuária estima-se, no terceiro trimestre, um crescimento de 2,80% em razão das produções de algodão e milho (segunda safra). Para o setor de serviços, a projeção é de crescimento de 0,87% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Prisma Fiscal

O estudo da SPE também oferece à sociedade resultados de um sistema de coleta de expectativas de mercado para o acompanhamento das principais variáveis fiscais brasileiras, chamado Prisma Fiscal. Essa ferramenta apresenta projeções de analistas do setor privado, em bases mensais e anuais, para as seguintes variáveis: arrecadação federal, receita líquida, despesa primária, resultado primário do governo central e Dívida do Governo Geral.

Veja Também