Na Câmara de Palmas

Fundador do Hospital do Amor recebe título de Cidadão Palmense indicado por Filipe Martins

19/11/2019 13h46 - Atualizado em 19/11/2019 13h50
Foto: Divulgação

A Câmara de Palmas, através de proposição do vereador Filipe Martins (PSC) concedeu o Título de Cidadão Palmense para Henrique Duarte Prata, um dos fundadores do Hospital do Amor, referência no tratamento de câncer no país. A homenagem foi entregue durante sessão solene que aconteceu no dia 14 de novembro. Na ocasião, Prata foi representado pelo senhor Gustavo Ruza.

Na justificativa, o parlamentar defendeu que o Hospital do Amor, conhecido anteriormente como o Hospital do Câncer de Barretos-SP é o maior Centro de Tratamento de Câncer do planeta, com certificação conferida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pela excelência no atendimento e pelo pioneirismo no tratamento, mantendo 98% do atendimento aos pacientes da via Sistema Único de Saúde (SUS), com aperfeiçoamento do conceito de humanização e avanços tecnológicos.

Só em 2018 o Hospital de Amor atendeu ao todo mais de 192,2 mil pacientes de 2.167 cidades de todos os estados da Federação. Foram realizados quase um milhão de procedimentos nas unidades móveis e nas instalações fixas da instituição.

“É uma homenagem muito oportuna, tendo em vista o relevante trabalho feito pela nação. Uma instituição tida como maior referência em pesquisa, prevenção, diagnóstica e tratamento de câncer no Brasil, tendo acima de tudo o amor. Nos sentimos honrados em poder contar com uma extensão desse hospital em nossa cidade.

Filipe Martins também lembrou que Palmas está tendo o privilégio de receber uma unidade do Hospital do Amor. Em fase de construção, na quadra 1101 sul, em uma área de 76 mil metros quadrados, a expectativa é que o prédio esteja em funcionamento em 2020.

Perfil

Henrique Duarte Prata, filho do casal de médicos Paulo Prata e Scylla Duarte Prata, não usa jaleco branco nem estetoscópio, mas administra o Hospital de Câncer de Barretos desde 1989; na Festa do Peão, trabalha como “madrinheiro” e aproveita para mobilizar artistas a ajudar na manutenção do hospital.

O pecuarista inconformado com o estarrecedor índice de óbitos no Brasil, vítimas dos diversos tipos de câncer, cujos dados estatísticos ultrapassam a margem de mais de duzentas e vinte mil pessoas anualmente no país, conforme dados da Organização Mundial da Saúde, que assegura ser o câncer a segunda maior causa de óbitos no Brasil, atrás apenas de doenças cardiovasculares, teve a visão de que poderia salvar mais vidas que qualquer outro médico, se abraçasse a causa da oncologia. A partir daí ganhou corpo o projeto que fez do Hospital um dos maiores centros de referência em oncologia do Brasil e mundialmente conhecido.

Em 2011, Henrique Prata publicou o livro Acima de Tudo o Amor, no qual conta a sua história e a história do Hospital de Câncer de Barretos. Em 2017, essa história tem continuidade com o livro A Providência. No mesmo ano, publica Acima de Tudo o Amor – Relatos – As Pessoas Que Fazem História No Maior Polo de Luta Contra o Câncer.

Veja Também