Durante a gestão Amastha

Rogério Freitas diz que R$ 7 milhões tirados da Secretária de Saúde foram lavados na subprefeitura de Taquaralto

27/11/2019 17h40 - Atualizado em 27/11/2019 17h45
Foto: Aline Batista

Ao pedir um aparte, nesta quarta-feira, 27, na fala da vereadora Laudecy Coimbra (SD), que defendeu a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) das criticas de Tiago Andrino (PSB), o parlamentar Rogério Freitas (PMDB) pediu para que a vereadora não se preocupasse com as críticas, afinal Adrino defende exatamente o que Amastha defendia.

"Ele defende o que aquele câncer que foi extirpado por Palmas, Carlos Amastha (PSB) defendia. O Amastha entrou na justiça pedindo indeferimento da empresa de lixo que ofertou o menor preço. O Amastha como gestor entrou na justiça para defender a Valor Ambiental. Mas o Tiago Andrino não fala isso, o Amastha conseguiu uma liminar na justiça para que a Valor Ambiental continuasse prestando serviços em Palmas, eles (Amastha e Andrino) não estão preocupados com o menor preço, estão preocupados em defender seus interesses", afirmou.

Em seguida o vereador disse que queria que Tiago explicasse porque foram tirados R$ 7 milhões da Secretária Municipal da Saúde para asfaltar ruas na Avenida Tocantins que não precisavam ser asfaltadas.

"A Secretária de Saúde vai passar esse ano com uma dívida no valor de R$ 14 milhões, desse valor total da dívida, R$ 7 milhões foram retirados de lá para a Subprefeitura de Taquaralto para lavar dinheiro e, é disso que estamos falando, estamos falando de defender os interesses daqueles que o colocaram aqui", afirmou Freitas.

Rogério disse ainda que por causa das irregularidades na Subprefeitura da Região Sul e na gestão de Carlos Amastha, o faturamento dos empresários caíram. "Isso aqui não é um número subjetivo do vereador Rogério Freitas, isso foi extraído das inúmeras reuniões que nós tivemos com os empresários daquela região, houve uma queda de 30% no faturamento, isso quebra qualquer empresa", ressaltou.

Freitas disse ainda que Amastha só mantinha Palmas bem iluminada no natal porque aderia a atas milionárias que beneficiavam sempre as mesmas empresas. "Natal iluminado sempre a R$ 4 milhões e o demonstrativo de pagamento todos os anos foram para as mesmas empresas. Ficamos aqui, eu e mais alguns vereadores seis anos discutindo processos que foram pagos por duas secretárias. Quando o Amastha prometeu que ia colocar banheiro público nas estações ele foi lá e locou banheiros químicos, esses banheiros foram pagos pela secretaria de Mobilidade e o mesmo contrato foi pago também pela secretaria de Infraestrutura e nós denunciamos no Ministério Público Estadual, só que eu não sei cadê o processo, sumiram com ele", finalizou Rogério.

 

Veja Também