CSA 1 x 2 Bahia

Bahia leva sufoco, mas vence o CSA e encerra jejum na Série A

02/12/2019 09h31 - Atualizado em 02/12/2019 09h33
Foto: Divulgação

O torcedor do Bahia precisou esperar nove jogos para tirar o grito que estava preso na garganta. Foram quase dois meses até o fim da agonia, mas na noite deste domingo (1º) o tricolor bateu o CSA por 2x1, no estádio Rei Pelé, em Maceió, e voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. A última vez havia sido em 16 de outubro, 1x0 contra o Grêmio, também fora de casa, em Porto Alegre.

O triunfo tricolor foi na base da emoção. O gol que decretou a vitória aconteceu apenas aos 40 minutos do segundo tempo, com Arthur Caíke. Gilberto marcou o outro tento tricolor, e o volante Nilton, ex-Bahia, chegou a empatar para os alagoanos.

Com o resultado, o Esquadrão soma agora 48 pontos e se mantém na 11ª colocação. Já o CSA continua com os mesmos 32, dentro da zona de rebaixamento, e vai precisar de um milagre para evitar a queda - o Ceará, em 16°, tem 38.

Faltando apenas duas rodadas para o fim o Brasileirão, o Bahia volta a entrar em campo na próxima quinta-feira (5), quando recebe o Vasco, às 19h15, na Fonte Nova. O último adversário será o Fortaleza, no dia 8, no Castelão.

O jogo
Diante de um adversário que luta contra o rebaixamento e adotou a estratégia de buscar o contra-ataque, o Bahia iniciou o primeiro tempo tentando controlar o jogo. Roger reforçou o meio-campo ao escalar Ronaldo na vaga de Lucca, voltando a usar o tripé de volantes. Mas o primeiro a assustar foi o CSA.

No chute cruzado de Ricardo Bueno, Apodi se esticou todo, mas não conseguiu concluir o lance. Apesar de ter mais posse de bola, o Bahia não conseguia furar o bloqueio montado pelo time alagoano. O Esquadrão então passou a explorar os chutes de longa distância.

Aos 10 minutos Gilberto arriscou de fora e Jordi fez a defesa. O goleiro voltou a aparecer bem em chutes de Élber e Gregore. Aos 21 minutos Gilberto ganhou a disputa com Alan Costa na linha de fundo, invadiu a área e marcou o gol, mas a bola havia saído e o assistente marcou o tiro de meta.

A mesma sorte o CSA não teve dez minutos depois. Flávio fez boa jogada e tocou para Gilberto na entrada da área. O camisa 9 se livrou bem de Alan Costa e chutou forte, no canto de Jordi, abrindo o placar para o Bahia.

O tricolor ainda teve outras duas chances para ampliar o marcador. Primeiro com Gilberto e depois com Lucas Fonseca, ambos de cabeça, mas Jordi salvou o time alagoano.

Mesmo em desvantagem, o Azulão seguiu apostando nas jogadas em velocidade e tinha em Apodi a principal válvula de escape. Aos 36 minutos o lateral recebeu belo lançamento de João Victor e ficou cara a cara com Douglas, mas finalizou fraco e o goleiro tricolor conseguiu defender.

O lance foi o último de Apodi no duelo. Minutos depois o camisa 20 sentiu um problema na coxa e foi substituído pelo atacante Bustamante.

Alívio no fim
O Bahia voltou para o segundo tempo pressionando o CSA. João Pedro fez a jogada na linha de fundo e cruzou para trás. Ronaldo conseguiu finalizar, mas Jordi fez grande defesa e evitou o gol tricolor.

Quando parecia que o Bahia estava perto de ampliar a vantagem, o time repetiu um roteiro que tem virado rotina. Aos nove minutos Rafinha cobrou escanteio na área. A defesa do Bahia dormiu e Nilton, sozinho, testou para as redes e decretou o empate.

O gol incendiou a torcida do CSA. Para piorar, o Bahia ficou com um homem a menos quando Ronaldo fez falta em Jean Kléber, recebeu o vermelho direto e foi expulso. O CSA passou a pressionar e levou perigo em chutes de Alan Costa e Ricardo Bueno.

Roger resolveu colocar Arthur Caíke no lugar de Élber e Fernandão na vaga de Gilberto. Mas quem quase marcou o gol foi Artur. O camisa 98 cobrou falta direta e acertou o travessão de Jordi.

Só aos 40 minutos o jogo voltou a ficar favorável para o tricolor. Na jogada em contra-ataque, Artur rolou para Arthur Caíke na entrada da área. O atacante chutou forte, no canto, e recolocou o Bahia em vantagem: 2x1. O VAR chegou a entrar em ação, mas o gol foi validado e o time encerrou a série de nove jogos sem vencer.

Fonte: Correio 

Veja Também