Em 2019

Operações deflagradas pelo Gaeco resultam na prisão de 48 pessoas

13/12/2019 18h03 - Atualizado em 13/12/2019 18h06
Foto: Divulgação

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) divulgou nesta sexta-feira, 13, o relatório de atividades operacionais desenvolvidas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) ao longo de 2019.

Os trabalhos realizados pelo órgão, em conjunto com a Polícia Militar e Polícia Civil do Tocantins, resultaram na prisão de 48 pessoas, que incorreram em crimes diversos, tais como homicídios, roubo a instituições financeiras e carro-forte, tráfico de drogas, formação de quadrilha, dentre outros.

Além das prisões, foi identificado o furto/roubo de veículos automotores utilizados para a prática dos crimes, dos quais foram recuperados 11 carros e 09 motocicletas. Também foram apreendidas diversas armas de fogo de diversos calibres (5 espingardas, 3 fuzis, 6 revólveres e 2 pistolas), munições, além de explosivos usados em roubos a banco.

As investigações do Gaeco possibilitaram desarticular vários pontos de tráfico de entorpecentes e levaram à apreensão de mais de uma tonelada de drogas, entre maconha, cocaína e crack e à destruição de mil pés de cannabis sativa, que renderiam uma tonelada de maconha prensada.

Composto por três Promotores de Justiça, analistas ministeriais e técnicos especializados, o Gaeco tem atuado de forma consistente em investigações minuciosas, nas quais se utiliza de equipamentos modernos e trabalho de campo para a elucidação de crimes como roubo de veículos, tráfico de drogas e armas, explosões de caixas eletrônicos, dentre outras atividades criminosas.

Para o coordenador do Gaeco, Marcelo Ulisses Sampaio, o trabalho do órgão tem permitido inibir a atuação de organizações criminosas e combater os diversos abusos e crimes praticados contra a sociedade, reforçando o papel do Ministério Público na persecução criminal e na defesa do cidadão.



Veja Também