Na Capital

Casos de dengue em Palmas é 93,5% menor do que o registrado no passado

22/07/2020 12h52 - Atualizado em 22/07/2020 15h09
Foto: Raiza Milhomem

Palmas registrou 330 casos de dengue em 2020, o que representa mais de 90% inferior em relação ao mesmo período do ano passado

Dados do último boletim de monitoramento das arboviroses, produzido pela Secretaria Municipal da Saúde (Semus), apontam que do início do ano até o momento, Palmas registrou 330 casos de dengue. O número é 93,5% menor do que o total de casos confirmados no mesmo período do ano passado, que registrou 5.114 diagnósticos positivos para a dengue na Capital. O município também contabilizou neste ano um caso de chikungunya e dois de zika. Não há registros de febre amarela em 2020.

Mesmo com o número de casos deste ano menor em relação a 2019, o trabalho preventivo dos agentes de endemias continua durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses (UVCZ) destaca as ações realizadas diariamente na Capital para combater focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika.

Segundo a coordenadora do Controle Vetorial da UVCZ, Lara Betânia Melo Pires Araújo, os agentes de endemias inspecionam os imóveis com o intuito de detectar possíveis criadouros do Aedes. “Quando descobrem, mostram ao responsável para que o mesmo possa eliminá-lo. Caso não possa ser eliminado, ele orienta a remover para outro local de forma que não acumule água. Em último caso, quando criadouros não podem ser removidos ou eliminados, é realizado o tratamento (aplicação do larvicida). Os agentes, então, tem esse olhar minucioso em relação aos possíveis criadouros”, explica.

A coordenadora esclarece ainda que, anteriormente, os agentes entravam nas casas para vistoriar banheiros, o recipiente de degelo das geladeiras e o quintal. No entanto, por recomendação dos órgãos de saúde, a vistoria atualmente é realizada apenas no quintal como medida de segurança tanto para o agente quanto para o morador do imóvel.

Após o início da pandemia, já foram realizadas 12.646 inspeções em casas de Palmas e 143 focos do mosquito foram encontrados. Os agentes também apontaram que durante as vistorias 2.416 imóveis encontravam-se fechados. Todos os profissionais receberam treinamento sobre medidas de segurança sanitária para atuar durante a pandemia e possuem equipamentos de proteção individual (EPIs), como máscaras, luvas de látex e álcool em gel para realizar vistorias nas casas.

Prevenção

Dentre algumas medidas simples para combater o Aedes e prevenir várias doenças estão a realização de algumas atividades semanalmente, tais como tampar tonéis e caixa d’água, manter calhas sempre limpas, deixar garrafas sempre viradas com a boca para baixo, manter lixeiras bem tampadas, deixar ralos limpos, limpar vasos de plantas, limpar potes de água para animais e retirar água acumulada atrás da máquina de lavar roupa e geladeira.

Veja Também