Diferente do que a prefeita afirma

Gastos com a saúde subiram, mas investimentos caíram, aponta Micheline

25/09/2020 10h19 - Atualizado em 25/09/2020 10h25
Foto: Divulgação

Candidata a vice-prefeita comparou as prestações de contas de ordenador de despesas entregues pela gestão municipal ao TCE; Micheline também contestas gastos

Os investimentos diretos da Prefeitura de Palmas na área de saúde caíram de 2017 a 2019, aponta a candidata a vice-prefeita pelo Podemos, Micheline Cavalcante, baseada na prestação de contas de ordenador de despesa entregue pela gestão municipal ao TCE (Tribunal de Contas do Estado). A informação contradiz alegações divulgadas pela prefeita e candidata à reeleição, Cinthia Ribeiro (PSDB), nesta terça-feira, 22 de setembro.

Conforme os relatórios, em 2017 a dotação inicial de investimentos da Secretaria Municipal da Saúde (via Fundo Municipal da Saúde) era de cerca de R$ 20 milhões, dos quais R$ 6,38 milhões tinham sido empenhados até o final daquele ano. Já em 2019, a dotação inicial de investimentos era de R$ 7,16 milhões, dos quais R$ 3,43 milhões foram empenhados até o final daquele ano. “O que vemos é uma diminuição de investimentos na área da Saúde de 46%”, destacou Micheline.

À imprensa, Cinthia divulgou números que mostram uma evolução nos gastos totais de saúde de 2017 a 2019, que, segundo ela, subiram de R$ 185,6 milhões em 2017 para R$ 237 milhões no ano passado. Os números são muito semelhantes aos registrados nas prestações de contas entregues pelo município ao TCE, mas se referem as despesas totais. “A Prefeitura de Palmas realmente está gastando mais, porém investindo bem menos na área, inclusive proporcionalmente. Ou seja, essas despesas não estão sendo entregues aos munícipes a contento”, frisou Micheline.

Investimentos empenhados na Saúde

2017 – R$ 6,38 milhões

2019 – R$ 3,43 milhões

Veja Também