Luto na Capital

Morre em Palmas Ana Maria Bittencourt Viana, fundadora da revista "Mulheres" e ex-superintendente da Caixa Econômica e do Sebrae Tocantins

26/09/2020 19h10 - Atualizado em 26/09/2020 21h41

Faleceu em Palmas neste sábado, 26,  às 15:30 horas no hospital Oswaldo Cruz,  Ana Maria Bittencourt Viana de 73 anos. Ela é mãe da jornalista Paula Bittencourt e faleceu de causas naturais. Ela tinha Alzheimer. 

O Sindicato dos Jornalistas do Tocantins Sindjor-TO lamentou a morte por meio de nota dizendo que Ana Maria era uma mulher empreendedora, criou a revista mulheres, e antes ocupou os cargos de superintendente da Caixa Econômica e do Sebrae Tocantins, abrindo espaço para que outra mulheres pudessem seguir seus passos. 

O Velório ocorrerá neste domingo, 27,  das 09:00 às 16 horas no salão da Igreja Santa Filomena. 


Veja abaixo as notas de pesares: 


Nota de Pesar Sindjor-TO

Recebemos com tristeza a notícia do falecimento da mãe da jornalista Paula Bittencourt, Ana Maria Bittencourt Viana de 73 anos. 

Importante empreendedora feminina, criou a revista mulheres, e antes ocupou os cargos de superintendente da Caixa Econômica e do Sebrae Tocantins, abrindo espaço para que outra mulheres pudessem seguir seus passos. 

Nesse momento de despedida e luto, estendemos nossa solidariedade a colega jornalista, rogando a Deus que concedoa acolhimento a todos os familiares.

Sindjor-TO



Nota de Pesar - Ana Maria Bittencourt Viana


Soubemos há pouco da morte da Dra Ana Maria Bittencourt Viana, ocorrida neste sábado, 26 de setembro, e lamentamos profundamente a partida desta mulher que desde o início do Estado foi grande colaboradora para o desenvolvimento do Tocantins tendo uma folha de serviços prestados ao povo dessa terra, tanto como superintendente da Caixa Econômica Federal quanto do Sebrae. 

Ana Maria foi uma mulher forte, determinada, corajosa, empreendedora, e em todas as áreas que se propôs a labutar obteve êxito e sucesso merecidos, não sendo diferente ao criar a Revista Mulheres, da qual trazia a mulher como protagonista da própria história, uma proposta inovadora à época.

Ana Maria merece todo o nosso reconhecimento e honrarias pelo legado que deixou para o Estado. 

Com os nossos mais sinceros sentimentos, pedimos a Deus o acolhimento espiritual à alma dessa guerreira, e que o espírito e corações dos familiares que ficaram sejam resguardados pelo amor de Cristo.

Siga em paz, Dra Ana. 

Deputada Federal, Dulce Miranda e Marcelo Miranda

Veja Também