No Tocantins

Obras de reparo em cabeceira da ponte sobre o córrego Santa Maria na TO-335 são finalizadas

20/11/2020 10h51 - Atualizado em 20/11/2020 11h08
Foto: Ageto/Governo do Tocantins
Como ficou a correção da erosão na cabeceira da ponte sobre o córrego Santa Maria na rodovia TO-335

A rodovia já foi liberada para a passagem de veículos e encontra-se segura, inclusive para o grande fluxo de transporte de cargas entre os dois estados brasileiros.

As obras de reparo da ponte sobre o Córrego Santa Maria, na TO-335, trecho que liga o município de Couto Magalhães à divisa com o Pará, foram finalizadas nesta quarta-feira, 18. Houve um transbordamento do córrego que causou erosão no aterro, na cabeceira da ponte e na via pavimentada, por causa do aumento de fluxo de água das fortes chuvas ocorridas na última semana.

O Governo do Tocantins divulgou que os serviços foram executados depois que a equipe técnica da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), constatou os danos na rodovia naquele local. A rodovia já foi liberada para a passagem de veículos e encontra-se segura, inclusive para o grande fluxo de transporte de cargas entre os dois estados brasileiros.

Os serviços de correção do aterro na cabeceira da ponte com a erosão no pavimento foram realizados pela equipe da Residência Rodoviária de Guaraí. O coordenador da Residência da Ageto, Antônio Martins, informa que a estrutura da ponte não sofreu nenhum dano. “Foram necessários fazer novos calços e compactar novamente o aterro e reconstruir o asfalto na cabeceira da ponte”, explicou.

Segundo Martins, a rodovia TO-335 é um corredor de transporte entre o Tocantins e a região sudeste do Pará, além daquela região tocantinense ser um pólo pecuarista de grande importância para o estado.

A secretária da Infraestrutura e presidente da Ageto, Juliana Passarin, diz que o Governo do Tocantins está mantendo o cronograma de intervenções nas rodovias de forma a permitir manutenções rotineiras e sazonais como no caso das erosões provocadas pelo período chuvoso, especialmente, nos trechos mais movimentados. . “No período de chuva, realizamos o monitoramento do sistema de drenagem das rodovias e, quando necessário, é feita a limpeza e manutenção para garantir o bom funcionamento dele”, reforça.

 

Veja Também