No Tocantins

Polícia Civil localiza corpo de uma possível vítima de homicídio em Paraíso

12/01/2021 09h47 - Atualizado em 12/01/2021 09h50
Foto: 6ª DEIC - Paraíso do Tocantins
Policiais Civis e Peritos estiveram no local no encontro do cadáver

Corpo estava enterrado em uma cova rasa em uma região de mata próximo a zona urbana da cidade.

A Polícia Civil do Estado do Tocantins localizou na manhã desta segunda-feira (11) o corpo de uma possível vítima de um suposto “tribunal do crime”, que teria sido assassinada no dia 25 de dezembro de 2020, em uma região de mata, próximo ao setor Vila Regina, em Paraíso do Tocantins.

De acordo com o delegado-regional Bruno Baeza, a ação que resultou no encontro do corpo foi desencadeada depois que os policiais civis da 6ª Deic de Paraíso receberam informações de que um homem teria sido executado no dia 25/12/20, após julgamento do “tribunal do crime”, supostamente por ter praticado crimes de furto em uma região não autorizada por uma Organização Criminosa, em Paraíso.

Após várias diligências, na manhã desta segunda-feira, agentes de polícia da Deic de Paraíso, com apoio de policiais civis da 63ª DP foram até o local informado e após escavar o solo, localizaram um corpo enterrado, cujos vestígios encontrados são compatíveis com o cenário de execução da suposta vitima. A Perícia e o IML foram acionados e compareceram ao local.

O corpo, que ainda não foi devidamente identificado apresentava lesões na cabeça, produzidas, provavelmente por golpes de facão e também não tinha uma das mãos, que teria sido decepada pelos executores, o que converge para a linha de investigação da 6ª Deic de que se trata de um crime de execução, sendo que a vítima pode ter sido torturada antes de ser morta.

Diante dos fatos, o corpo foi encaminhado ao Núcleo do IML de Paraíso, onde permanece. Caso compareça algum possível familiar, serão requisitadas pela autoridade policial, os exames periciais necessários para sua identificação. A 6ª Deic de Paraíso vai conduzir a investigação no sentido de esclarecer a dinâmica e identificar os autores do bárbaro crime.  

Veja Também