Meninos da Colina

Luxemburgo aposta no talento da base do Vasco em momento decisivo do Brasileirão

13/01/2021 14h32 - Atualizado em 13/01/2021 14h36
Foto: Rafael Ribeiro/Vasco
Cayo Tenório, Juninho, Caio Lopes, Bruno Gomes e Gabriel Pec jogaram contra o Botafogo

Treinador volta a lançar jovens atletas da base vascaína na fase final da temporada. No clássico, diante do Botafogo, oito jogadores revelados pelo clube estiveram em campo

Com o retorno de Vanderlei Luxemburgo ao comando técnico do Vasco, os Meninos da Colina, que conquistaram a Copa do Brasil sub-20, passaram a ter mais oportunidades no time profissional. Os jovens Gabriel Pec e Caio Lopes se uniram a outros seis jogadores revelados no Gigante da Colina na vitória sobre o Botafogo por 3 a 0, em São Januário, que fez a equipe se distanciar do Z4 do Brasileirão.

Ao longo de sua carreira, Luxemburgo costuma trabalhar bem com jogadores pratas da casa. E no Cruz-Maltino não tem sido diferente. Na primeira passagem, em 2019, o treinador foi responsável por colocar em campo duas das maiores esperanças da torcida vascaína: Talles Magno e Gabriel Pec. Em seu retorno, mais um nome representou a Cruz de Malta: trata-se de Caio Lopes, que entrou na etapa final contra o Botafogo, e mostrou muito talento.

No clássico de domingo, oito jogadores revelados na Colina Histórica estiveram em campo. Desde Henrique, que iniciou a carreira nos profissionais em 2013, até jovens com poucos jogos entre os profissionais. Ao falar sobre a utilização de nomes da base, Vanderlei apontou que é uma tradição do Vasco e que a continuidade dos meninos no time depende da regularidade e do que produzirem dentro das quatro linhas.

- Não vejo nenhum problema em trabalhar com a base. É algo normal. Pode ter 16, 17, 18, 20 anos, 19, como o Juninho. Talles estreou com a gente com 16 anos. O Vasco tem tradição de base. Eu pego, boto para cima e dou a chance deles poderem ter oportunidade deles. A continuidade não pertence a mim, pertence a eles, de acordo com o que podem produzir - disse o treinador.

A lista é extensa com Henrique, Andrey, Cayo Tenório, Bruno Gomes, Juninho, Talles Magno, Gabriel Pec e Caio Lopes, assim como outros nomes presentes no banco: Lucão, Vinícius e Tiago Reis. Um time recheado de pratas da casa, que necessitam de uma transição bem feita, sem serem queimados e não renderem o esperado. Assim, Vanderlei sabe o momento certo de lançar os jovens como fez com Patrick de Paula e Gabriel Menino no Palmeiras.

Em suas duas escalações, Bruno Gomes tornou-se titular dando mais segurança à frente da zaga vascaína. Já com a entrada de Juninho, Léo Gil tem mais liberdade para ajudar na transição ofensiva e muitas vezes chegar com perigo. Talles Magno, por sua vez, teve mais liberdade para explorar o drible, as jogadas individuais, porém de maneira objetiva, para frente e perto tanto de Cano, quanto do gol adversário.

As entradas de Caio Lopes e Gabriel Pec mostraram duas excelentes opções no meio-campo. O primeiro deu um lindo passe para Andrey chutar forte em cima de Cavalieri e mostrou ter personalidade e boa visão de jogo. O segundo parece estar mais maduro que em 2019, e foi perigoso nos dois jogos. Contra o Dragão, fez uma bonita jogada e chutou para fora, e no clássico deu um passe na medida para Cano finalizar.

- A primeira bola do Caio Lopes foi uma excelente enfiada, tentei bater cruzado, e a bola foi no canto do Cavalieri. No gol, o Cano me serviu muito bem. Esse meio de campo de meninos mostra que a base do Vasco é muito forte. O Caio está subindo agora e tem muita qualidade - salientou Andrey.

O eficiente argentino passou em branco nos dois jogos dirigidos por Luxemburgo, o que já mostra uma diferença para o time de Sá Pinto. Apesar do curto tempo, a equipe já demonstrou uma maior qualidade ofensiva e criou chances de gol com outros jogadores do elenco. Por fim, o Cruz-Maltino evoluiu e mostrou ser competitivo nessa reta final de temporada. 

Fonte: lance

Veja Também