No Tocantins

Sindicalizados ao SISEPE denunciam aglomeração e falta de máscara e álcool em gel na Setas

03/03/2021 15h46 - Atualizado em 03/03/2021 15h48
Foto: Divulgação

15 servidores diagnosticados com Covid-19 na terça-feira, 2

Com 15 servidores públicos diagnosticados com Covid-19 nessa terça-feira, 2, nenhum distanciamento social e falta de máscara e álcool em gel, os sindicalizados do SISEPE-TO que trabalham na Secretaria Estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas) estão preocupados com sua saúde. O SISEPE-TO constatou que existem salas na Setas com diversas mesas muito próximas, com dezenas de pessoas trabalhando, e o secretário da pasta, Messias Araújo, chegou a anunciar que haveria revezamento de servidores, mas cancelou a medida.

“É preciso destacar que na terça-feira foram registrados 374 novos casos de covid-19 e já contabilizamos 1.539 óbitos no Tocantins e os leitos estão lotados. Então, assegurar as medidas para evitar a propagação do novo coronavírus é fundamental e devem ser adotadas por todos os gestores públicos. Por isso, desde março do ano passado, o SISEPE-TO tem cobrado que o Executivo estadual cumpra as medidas para garantir a saúde dos servidores públicos”, pondera o presidente do SISEPE-TO, Cleiton Pinheiro.

O SISEPE-TO ainda destaca que é obrigação do governo do Estado, conforme determina a Constituição Federal, organizar o trabalho para evitar aglomerações e exposições desnecessárias. “A saúde é um direito do servidor e dever do Estado em garantir”, destaca Cleiton Pinheiro.

No último dia 26, o SISEPE-TO oficiou o governador Mauro Carlesse para que garanta o regular fornecimento de máscaras e álcool em gel 70% aos servidores públicos que estão trabalhando. No ofício, o SISEPE-TO requer ao governador que notifique todas as secretarias, autarquias e fundações para que os equipamentos de segurança e medidas de distanciamento sejam assegurados.


Veja Também