Em ação integrada

Policiais cumpre 43 mandados de busca contra o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em todas as regiões de Palmas

27/10/2021 11h21 - Atualizado em 27/10/2021 11h26
Foto: Luiz de Castro/Governo do Tocantins

A operação é resultado de denúncias anônimas e troca de informações com inteligências das forças de segurança e contou com cerca de 250 policiais da Capital e do interior

A Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), com apoio de grupos da Polícia Militar (PM-TO), Polícia Penal e Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), cumpriu 43 mandados de buscas em mais uma ação de combate ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em todas as regiões de Palmas, na manhã desta quarta-feira, 27. Ao todo, seis pessoas foram presas, mais de 40 aparelhos de celular apreendidos, além de um considerável volume de entorpecentes.

“Toda a estrutura das forças de segurança foi disponibilizada para a Delegacia Geral da Polícia Civil para que a missão fosse cumprida efetivamente. Essa ação integrada reforça o compromisso das forças policiais com a sociedade”, destacou o secretário de Estado da Segurança Pública (SSPTO), Wlademir Costa Mota Oliveira.

A operação foi coordenada pela Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO) e contou com cerca de 250 policiais da Capital e do interior. “O papel constitucional da Polícia Civil é de apurar as infrações penais, visando restaurar e garantir a ordem e a segurança da população", destacou a delegada que coordenou a operação, Ana Carolina Marinho.

Segundo o delegado Amaury Santos Marinho Júnior, a operação é resultado de denúncias anônimas e troca de informações com demais inteligências das forças de segurança. “O objetivo foi de desarticular células que operam o microtráfico na Capital, além de angariar elementos informativos que possam nos levar a detalhamentos de redes de narcotráficos”, informou a autoridade policial.

Balanço

Foram seis pessoas presas, interrogadas, e encaminhadas à Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP), onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Até o momento, mais de 40 aparelhos de celular foram apreendidos, além de um considerável volume de entorpecentes.

A ação integrada contra microtráfico de entorpecentes na Capital, contou com o apoio do helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER/TO), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-TO), assim como os cães farejadores de narcóticos, do Grupo de Operações com Cães, da PM.

Entre as forças policiais e grupos estratégicos que participaram da operação equipes da Polícia Civil de Araguaína, Guaraí, Porto Nacional, Gurupi e Palmas: Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA), 1ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (DEIC), Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Divisão Especializada de Repressão à Corrupção (DECOR), Divisão Especializada de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DRCOT), Agência Central de Inteligência (ACI/PM), Ronda Ostensiva Táticas Metropolitana (Rotam/PM), Agência Local de Inteligência da Polícia Militar (ALI/PM-TO), Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Grupo Operacional com Cães (GOC- PMTO) VOLANTE e Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER) e Divisão de Repressão a Narcóticos (1ª Denarc), Ronda Ostensiva Municipal (Romu/GMP), Sistema Penitenciário e Prisional (Sispen/TO), Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPE). 

Veja Também