Na Capital

Seder inicia protocolo de melhoramento genético em rebanho

16/11/2021 15h30 - Atualizado em 16/11/2021 15h31
Foto: Divulgação

Nessa etapa serão inseminadas artificialmente 45 vacas de 11 pequenas propriedades

Nesta terça-feira, 16, a Secretaria de Desenvolvimento Rural (Seder) iniciou mais uma etapa do protocolo de melhoramento genético para aumento da produção leiteira na Capital. O protocolo faz parte do projeto ‘Palmas para o Leite’ e nessa etapa serão inseminadas artificialmente 45 vacas de 11 pequenas propriedades. A previsão da Seder é que até o final do ano sejam inseminadas 234 matrizes.

Na primeira fase do protocolo, chamada de ‘D Zero’, técnicos da Seder fazem o manejo inicial com o diagnóstico da ausência de gestação das matrizes, por meio de ultrassom, sendo que aquelas a apresentarem bons resultados recebem implante de hormônios para estimular a ovulação. Após oito dias, na fase ‘D8’, é retirado o implante e são aplicados mais três hormônios para que ocorra o sinal de cio e a sincronização da ovulação.

Por fim, na fase ‘D10’, que será dia 26 de novembro, os técnicos farão a inseminação das 45 vacas de acordo com a indicação para cada matriz. O médico veterinário da Seder, Cláudio Sayão Lobato, conta que para realização desses protocolos, o município adquiriu 300 doses de sêmen das raças Jersey, Girolando, Holandês, Kiwicross (Jersolando), sendo esses dois últimos importados da Nova Zelândia, maior país na exportação de produtos lácteos.

Os 11 produtores atendidos nessa etapa são da região do Jaú, Vale da Cachoeira, Vale da Serra, São Silvestre, Taquaruçu, Entre Rios e Piabanha.

Palmas para o Leite

O projeto investe no melhoramento do rebanho e oferece assistência técnica gratuita a produtores locais, com o objetivo de fortalecer a produção de leite na Capital. 

Veja Também