No Tocantins

MPTO inicia campanha de combate à pobreza menstrual

19/11/2021 10h56 - Atualizado em 19/11/2021 10h57
Foto: Divulgação

O Ministério Público do Tocantins, por meio do Centro de Apoio das Áreas do Consumidor, da Cidadania, dos Direitos Humanos e da Mulher (Caoccid) e do Núcleo Maria da Penha, deu início à campanha de combate à pobreza menstrual para arrecadação de absorventes íntimos que serão destinados a mulheres em situação de vulnerabilidade econômica.

As arrecadações iniciaram no último dia 17 e seguem até 20 de dezembro. As doações poderão ser depositadas em um centro de coleta, que ficará disposto na recepção da sede do MPTO.

A campanha faz parte da programação da campanha 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra Mulheres, que foi deflagrada nesta quinta-feira, 18, idealizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e difundida também pelo Ministério Público, órgão integrante da rede de proteção às mulheres vítima de violência.

“O Ministério Público do Tocantins adere anualmente à campanha, com o objetivo de conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressão contra a mulher e sobre a importância de luta pela erradicação de todos os tipos de violência”, explicou a coordenadora do Caoccid e do Núcleo Maria da Penha, promotora de Justiça Isabelle Figueiredo.

Pobreza menstrual

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a pobreza menstrual é caracterizada pela falta de acesso a recursos, infraestrutura e até conhecimento, afetando pessoas que menstruam e que vivem em condições de pobreza e situação de vulnerabilidade em contextos urbanos e rurais.

Veja Também