Crime aconteceu em abril de 2020

Homem é indiciado pela PC por estupro de vulnerável em Ananás

30/04/2021 16h00 - Atualizado em 30/04/2021 16h16
Foto: Divulgação

Um crime de estupro de vulnerável, ocorrido em 10 de abril de 2020, no povoado Tamboril, localizado na zona rural de Angico, foi devidamente esclarecido pela Polícia Civil do Tocantins, por meio de investigações realizadas pela 18ª Delegacia de Polícia Civil de Ananás.

A conclusão do inquérito policial, que foi presidido pelo delegado Teofabio Siqueira Alves, resultou no indiciamento por estupro de vulnerável de um homem de 24 anos, principal suspeito de ter cometido o crime.

A autoridade policial revelou que na época dos fatos, a vítima, então com 13 anos de idade, acompanhada por outros colegas, teria ido à residência de uma amiga, localizada no povoado Tamboril. Ao chegar ao local, à adolescente observou a presença de vários homens que estavam ingerindo bebida alcoólica, e por isso decidiu ficar do outro lado da residência conversando com seus amigos.

Quando em um determinado momento os colegas foram até um mercadinho próximo para comprar salgadinhos, a vítima ficou sozinha e resolveu entrar na casa para tomar água. No interior da residência, a adolescente relatou que foi agarrada por um homem sendo obrigada a entrar em um dos quartos, onde foi contida e abusada sexualmente.

Logo após o ocorrido, o homem suspeito pelo estupro disse para ela se vestir, ir embora e não contar a ninguém sobre o que tinha acontecido. Apesar do trauma sofrido, a vítima, acompanhada de sua mãe, conseguiu registrar a ocorrência do estupro na 18ª DP, no dia 13 de abril.

DNA

Ainda de acordo com a autoridade policial, a vítima foi submetida a exame de conjunção carnal que confirmaram os abusos. Além disso, exames de DNA feitos pelo Instituto de Genética Forense, em Palmas, a partir do material genético coletado nas vestes da vítima, confirmaram que o crime foi cometido pelo principal suspeito, conforme as investigações da Polícia Civil.

O homem foi preso no dia 29 de dezembro de 2020, porém, teve a prisão revogada cerca de dois meses depois, respondendo o processo em liberdade desde março de 2021. Com a conclusão do inquérito policial, o indivíduo foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável, e o caso agora foi encaminhado ao Ministério Público e Poder Judiciário e ao Ministério Público para as devidas providências.

Veja Também