Na Assembleia

Antonio Andrade apresenta Projeto de Lei que prevê tratamento psicológico pós-covid

05/05/2021 19h36 - Atualizado em 05/05/2021 19h49
Foto: Joelma Cristina
Deputado Antonio Andrade - Presidente da Aleto na sessão desta terça, 04

Na Sessão Ordinária desta terça-feira, 04, na Assembleia Legislativa do Tocantins (Aleto), o presidente da Casa, deputado Antonio Andrade (PTB), apresentou um Projeto de Lei (PL) que pede o desenvolvimento de diretrizes, estratégias de orientação, tratamento psicológico e psiquiátrico para pessoas acometidas de sintomas de transtorno de estresse pós-traumático, depressão, ansiedade, pânico e ao suicídio, associado ao isolamento pós pandemia do Covid-19.

De acordo com pesquisadores, durante epidemias o número de pessoas que desenvolvem distúrbios psíquicos tende a ser maior do que as que são afetadas pelo processo infeccioso. Os estudos apontam que o pós-pandemia também apresenta fatores sérios de risco à saúde mental, principalmente, por conta das perdas financeiras e do estigma em relação a outras pessoas.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), os porcentuais médios esperados desses problemas na população são: estresse, 8,5%; ansiedade, 7,9%; depressão, 3,9%".

Um ponto que preocupa bastante os especialistas é a saúde mental das crianças e adolescentes durante a pandemia do novo coronavírus. Países europeus como Itália e Espanha, que foram muito atingidos pelo novo coronavírus e já retomaram as atividades, registraram um aumento de casos de depressão e ansiedade neste grupo.

É esperado que no Brasil o novo coronavírus também deixe sequelas. Atualmente cerca de 5,8% da população do País sofre com depressão. Outro tipo de doença que poderá ter consequências em massa é o das pessoas que sofrem síndrome do pânico, ou seja, um número estimado entre 4 e 6 milhões de brasileiros.

Para Antonio Andrade, por mais que o evento trágico da pandemia passe, os males emocionais podem não ir embora.

“Precisamos estar atentos às sequelas desta pandemia, não só as econômicas, mas principalmente as relacionadas à saúde mental, os dados mostram que não podemos subestimar estes efeitos'', destacou Andrade.

A PL agora segue para as Comissões Parlamentares.  

Veja Também