No Tocantins

Governo faz doação de 3 mil doses de vacinas contra febre aftosa para atender rebanho de comunidades quilombolas e indígenas

07/05/2021 13h55 - Atualizado em 07/05/2021 13h56
Foto: Camila Soares
Vacinação será feita por técnicos da Adapec

A vacinação dos animais será feita de forma oficial pela Adapec

Com o objetivo de vacinar todo o rebanho de bovídeos (bovinos e bubalinos) nesta primeira etapa de vacinação contra febre aftosa, o Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) está doando às comunidades quilombolas e indígenas, 3 mil doses da vacina antiaftosa. A vacinação será feita de forma oficial pelos técnicos da Agência nas propriedades rurais.

Segundo o responsável técnico pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa da Adapec, João Eduardo Pires, as regionais do órgão solicitam ao programa as doses da vacina, mediante a identificação daquelas comunidades com maior vulnerabilidade. “Após esta identificação é feito um agendamento com estes produtores para a vacinação do rebanho, e os nossos técnicos vão até estas propriedades e aplicam o imunizante”, explicou João Eduardo.

Por ser uma vacinação oficial, não há a necessidade destes beneficiados fazerem a declaração da vacina, uma vez que os técnicos já preenchem no ato a carta-aviso.

Campanha contra aftosa

A primeira etapa da campanha contra febre aftosa teve início no dia 1º e segue até 31 de maio, sendo que nesta etapa todo o rebanho de bovídeos (bovinos e bubalinos), indiferentemente da faixa etária, devem ser vacinados. A estimativa é que sejam vacinados mais de 9 milhões de cabeças, distribuídas em mais de 56 mil propriedades. Já o prazo de declaração da vacinação foi estendido até o dia 10 de julho, em virtude da pandemia.

A vacinação contra aftosa é obrigatória e a legislação prevê multa para quem deixar de vacinar, sendo de R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada, além de outras sanções.

Cuidados com a vacinação

Os cuidados no transporte, armazenamento e utilização da vacina são essenciais para garantir a sua eficácia, por isso, o produtor rural deve ficar atento às indicações. Ao adquirir a vacina, o produtor rural deve mantê-la na temperatura entre 2°C e 8°C até o momento da aplicação, usar agulhas novas e desinfetadas para evitar abcessos nos animais, aplicar a dose de 2ml por animal na tábua no pescoço e procurar vacinar nos horários mais frescos do dia, preferencialmente no início da manhã ou fim da tarde.

A Adapec também recomenda aos pecuaristas que aproveitem o manejo do rebanho e vacinem os animais contra outras doenças, como a raiva e a brucelose.       

Veja Também