No Tocantins

MPTO requer prisão preventiva de dois homens que atearam fogo em ônibus escolar em Lajeado

08/06/2021 16h07 - Atualizado em 08/06/2021 17h32
Foto: Divulgação MPTO

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) requereu à Justiça, na tarde desta terça-feira, 08, a decretação da prisão preventiva de Lucas Gomes Ribeiro e Jackson de Souza Soares, acusados de atear fogo em um ônibus escolar da prefeitura de Lajeado, no dia 11 de abril deste ano.

O veículo estava estacionado na garagem municipal, local onde foi deixada uma carta na qual integrantes de uma facção criminosa assumem a autoria do crime, em retaliação às supostas agressões sofridas por reeducandos internados em unidades prisionais do estado.

O promotor de Justiça João Edson de Souza lembra que o fato causou apreensão à população do município e ressalta que a prisão é medida que se faz necessária para a garantia da ordem pública, visto que, na carta, os acusados ainda ameaçaram continuar com os ataques.

O pedido será analisado pela Vara Criminal da Comarca de Miracema do Tocantins.

Veja Também