Em audiência pública

Professor Júnior Geo cobra transparência e defende interesses das comunidades jalapeiras

19/08/2021 15h22 - Atualizado em 19/08/2021 15h23
Foto: Divulgação

Atendendo ao requerimento do deputado estadual Professor Júnior Geo (PROS), a Assembleia Legislativa realizou a audiência pública para analisar o projeto do governo do Estado que prevê a privatização dos parques do Jalapão, Cantão, Lajeado e do Monumento das Árvores Fossilizadas. A audiência, realizada no plenário nesta quinta-feira, 19, foi marcada por protestos das comunidades vindas do Jalapão e contou com representantes de diversos segmentos, entre prefeitos, vereadores, comunidades quilombolas, empresários do setor turístico de Mateiros, Ponte Alta e São Félix.

Falta transparência

Segundo o deputado Professor Júnior Geo, a proposta do governo do Estado é obscura e sem transparência alguma. “Quem vai ganhar com essa privatização? É isso mesmo que os jalapeiros querem e precisam? Precisamos conhecer esse plano e suas particularidades para analisar o conteúdo para discutirmos com os verdadeiros impactados que é a população do Jalapão” – assegurou o deputado.

Mateiros

Para o prefeito de Mateiros, João Martins, o que é necessário é investimento estatal em infraestrutura. “Não temos nada, nem estradas, nem sinalização ou qualquer infraestrutura que permita desenvolver a região, o que temos é um descaso para com a população do Jalapão” – enfatizou o prefeito ao convidar os deputados e secretários para irem de carro para Mateiros e verem de perto a penúria do abandono do Estado.

Ponte Alta

De acordo com o prefeito de Ponte Alta, Kleber Rodrigues de Sousa, “não precisamos de multinacionais para levar nosso dinheiro, precisamos de investimentos e de capacitações. Queremos que o Estado faça a sua parte e reorganize conosco o Jalapão” – Declarou o prefeito.

Quilombolas

“O que precisamos é de estrada para trafegar. Enfrentamos nove horas de viagem de puro buraco para chegar aqui e isso é muito sofrido para todos nós” – desabafou a quilombola Elzita Evangelista, da comunidade quilombola Rios. “É uma concessão desrespeitosa, sem transparência e que vai explorar ainda mais as comunidades quilombolas e nós queremos é estrada e infraestrutura” – assegura.

Estado

Representado pelo secretário de parcerias público-privadas, Claudinei Quaresmim, o Estado do Tocantins defendeu a concessão dos parques à iniciativa privada como algo bom para o Jalapão e sua população, com a promessa de que haverá a ampliação no número de turistas e a geração de empregos.

Veja Também