No Tocantins

Número de homicídios cai em mais de 20% no primeiro semestre de 2021

02/09/2021 11h53 - Atualizado em 02/09/2021 12h00
Foto: Imagem da internet

Crimes tiveram redução no comparativo com o mesmo período do ano passado

O número de homicídios no Tocantins caiu em 21,6% nos seis primeiros meses de 2021, o demonstrativo é feito em comparação com o mesmo período de 2020. Os dados são da Secretaria da Segurança Pública do Tocantins (SSP-TO) que realiza o monitoramento diário das estatísticas criminais em todo o Estado.

Entre janeiro a julho deste ano foram registrados 167 crimes violentos letais intencionais, já no ano passado esse número era de 213 casos em todo o estado, ou seja, 46 ocorrências a menos. Além disso, em 53% dos municípios tocantinenses não houve registro de mortes violentas, dos 139 municípios, em 74 não houve nenhuma ocorrência desta natureza.

Em Palmas entre os meses de janeiro a julho de 2020 foram 61 casos de homicídios registrados, número que caiu em 2021 para 25 casos, uma redução em 40,98%. Os números positivos são resultados de uma integração das forças policiais do Tocantins que aprimoraram e trouxeram maior segurança à população.

Para o secretário de Segurança Pública do Tocantins: “As forças de segurança estão trabalhando de forma integrada, como determinado pelo Governador Mauro Carlesse, ao implementar o Sistema Integrado de Metas. Nas reuniões das forças de segurança são analisados os índices criminais de cada região e dessa forma, temos condições de definir as ações mais efetivas para reduzir a criminalidade em cada localidade. Com isso estamos diminuindo os índices em todo o Tocantins”, explicou o secretário da Segurança Pública do Tocantins, Cristiano Sampaio.

De acordo com o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de Palmas, Dr. Guido Camilo, o saldo positivo é reflexo de um trabalho intenso e a soma das forças de segurança estaduais: “entre os principais itens de um bom resultado está o aperfeiçoamento da equipe, os investigadores precisam ter o perfil, pois requer muita dedicação nesse tipo de investigação.” Concluiu o delegado.



Veja Também