Luto na capital

Morre em Palmas, Djé, proprietária da antiga casa de shows “Feitiço Tocantinense”

09/09/2021 12h19 - Atualizado em 09/09/2021 15h24
Foto: Divulgação

Faleceu na manhã desta quinta-feira, 09, vitima de um câncer Maria de Jesus Assunção Kruger, mas conhecida como Djé. Ela tinha 70 anos, era natural de Tocantinópolis região norte do Tocantins.

Djé, mulher guerreira e pioneira em palmas, foi dona de uma conhecida casa de shows chamada de “Feitiço Tocantinense”, onde funcionou de 1995 a 2004, em frente à Praça do Bosque, onde atualmente, funciona o Extra Hipermercado.

Quem morou nessa época na capital, lembra muito bem do Feitiço Tocantinense que sempre lotava aos finais de semana com um público diversificado.

Nota de Pesar

É com muita tristeza e pesar que lamento a passagem da amiga pioneira de Palmas, Maria de Jesus Assunção Kruger, a nossa Dijé da Feitiço Tocantinense, aos 70 anos, na noite de ontem, 08, em Brasília. Dijé lutava contra um câncer no pâncreas, mas faleceu após ser acometida por essa doença que tem levado tantos irmãos brasileiros, que é a Covid-19.

Natural da minha querida cidade de Tocantinópolis, Dijé foi uma das pioneiras no comércio de bares e restaurantes aqui da Capital, com o saudoso Feitiço Tocantinense, um estabelecimento que trouxe muita alegria para as noites palmenses, e que é lembrado até hoje por quem viu esta cidade crescer e se desenvolver.

Que Deus possa confortar e abençoar os corações de suas filhas, Bertha e Alexandra Kruger, neste momento de dor. Aos demais familiares e amigos, o meu abraço fraterno e sinceras condolências.

Respeitosamente,
Vereador Folha

 

Nota de Pesar

Lamento profundamente o falecimento da minha amiga Dijé. Muito trabalhadora, desde Tocantinópolis, que é sua terra natal, chegou em Palmas na construção da Capital. Abriu o Feitiço Tocantinense que tornou-se ponto de encontro dos pioneiros. Ano passado, com seu apoio, reuni com os barraqueiros da Praia do Prata para tratar sobre a pavimentação da estrada que dá acesso ao local. Fiz questão de destinar o recurso para atendê-los. Dijé era apaixonada por Palmas e não media esforços para transformar a cidade um lugar melhor para viver. Neste momento de dor solidarizo-me com suas filhas, Bertha e Alexandra, familiares, amigos e todos os barraqueiros da Praia do Prata, seus companheiros de trabalho e de sonhos. Que o Pai Celestial receba-a em sua nova morada.
Meus mais sinceros pêsames,

Vicentinho Júnior
Deputado Federal 

Veja Também