Em Palmas

UVCZ orienta população sobre cuidados para evitar o surgimento de animais peçonhentos

15/09/2021 10h43 - Atualizado em 15/09/2021 10h45
Foto: Divulgação

Quintais, terrenos baldios e jardins limpos, sem entulho e lixo doméstico, ajudam a evitar a presença destes animais

Tempo seco e quente, clima favorável para o aparecimento de animais peçonhentos em residências, em especial os escorpiões, que têm sido vistos com maior frequência em Palmas. Para evitar incidentes mais graves, a Unidade de Vigilância orienta sobre alguns cuidados importantes que a pessoa deve observar diariamente em suas residências. Conforme os técnicos da UVCZ, a forma de diminuir os riscos é manter os quintais, terrenos baldios limpos, evitando acumular entulho e lixo doméstico, além de aparar a grama dos jardins e recolher as folhas caídas.

Entre os meses de janeiro e agosto de 2021, a Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses de Palmas (UVCZ) registrou 233 casos relacionados a acidentes com animais peçonhentos na Capital. Deste total, 143 ocorrências foram com escorpiões e 44 com cobras, seguidas de casos com aranhas, abelhas, arraias, formigões, lacraias e marimbondos.

De acordo com o biólogo da UVCZ, Anderson Brito Soares, em casos de picadas de escorpiões em crianças e adolescentes, os familiares precisam ter calma, e observar as características do animal. “No Brasil existem quatro espécies de escorpiões que podem ser fatal, principalmente em crianças e idosos, por isso é importante ficar atento. Os escorpiões são animais peçonhentos que vivem em ambientes escuros e úmidos e as altas temperaturas registradas em Palmas aumentam o aparecimento deles. Em adultos, a picada provoca muita dor, mas em 98% dos casos o controle pode ser feito por anestésicos ou analgésicos. Já crianças ou adolescentes de até 15 anos são bem mais suscetíveis ao veneno tanto da cobra quanto do escorpião e da aranha”, explica.

Em caso de picada de cobra, Anderson orienta lavar o local com água e sabão, sem aplicar qualquer tipo de produto ou medicação. No caso da ferroada de escorpião, a primeira medida é colocar compressas de água morna sobre a ferida. Já com aranhas ou queimaduras de taturanas, a pessoa não deve mexer no ferimento e precisa procurar atendimento médico imediatamente.

Coleta de animais peçonhentos

O biólogo recomenda que em caso de surgimento de escorpiões, a população deve contatar a UVCZ pelo telefone (63) 3212-7918, para que os agentes façam uma vistoria e coletem os animais. E se houver a picada do animal, o usuário deve procurar uma das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para realizar a avaliação do caso.

Veja Também