No Tocantins

Polícia Rodoviária resgata aves silvestres sendo transportadas ilegalmente em Paraíso

03/06/2022 12h08 - Atualizado em 03/06/2022 12h14
Foto: Divulgação

As Araras-Canindés foram encontradas no interior de um veículo em Paraíso/TO

Na tarde desta quinta-feira (2), a Polícia Rodoviária Federal do Tocantins (PRF/TO) resgatou duas Araras-Canindés sendo transportadas com documentação falsa e irregular, no km 497.0 da BR 153 do município de Paraíso do Tocantins.

Durante o deslocamento e escolta de um caminhão baú relacionado a outra ocorrência, a equipe da PRF identificou o veículo modelo Toyota Hilux Cd de cor branca, transitando no sentido decrescente da rodovia. Em razão da placa traseira do veículo estar dobrada de forma a dificultar ou até mesmo impedir a leitura e identificação, os agentes resolveram abordá-lo no posto policial de Paraíso do TO.

Enquanto dialogavam com o condutor, os policiais ouviram um som típico emitido por animal silvestre do tipo arara (CHALREADO). Ao ser questionado, o motorista informou estar transportando no interior do veículo duas Araras-Canindés que pertenciam ao seu patrão. Ainda informou que as aves teriam sido compradas em São Paulo-SP e que estava transportando para uma fazenda no interior do Pará.

Foi solicitado que o condutor apresentasse os documentos relacionados ao transporte dos animais. Ao executar a análise documental e consultas aos sistemas, a equipe percebeu robustos indicativos de inconsistências nos documentos de certificação de origem dos animais e no documento auxiliar de nota fiscal eletrônica.

Diante das evidências a equipe acionou os órgãos ambientais competentes que confirmaram as irregularidades mencionadas. Além disso, o IBAMA informalmente comunicou a inconsistência das anilhas fixadas nas aves. Durante a fiscalização uma equipe do Instituto Natureza do Tocantins - NATURATINS que estava passando pelo local percebeu a abordagem com aves e parou para oferecer apoio. Uma agente do órgão e bióloga, acompanhou a equipe na condução da ocorrência e confirmou que toda documentação e anilhas apresentadas eram inconsistentes.

Em virtude do exposto, a ocorrência foi encaminhada para a central de flagrantes de Paraíso do TO para os procedimentos cabíveis. Diante das circunstâncias foram apreendidos os documentos mencionados, as 2 anilhas e as 2 aves e constatados os crimes de Falsificar documento fiscal, Falsificação de selo ou sinal público, Uso de documento falso e Apanhar espécimes da fauna silvestre. Posteriormente os animais foram entregues ao NATURATINS para adoção dos cuidados necessários e preservação do bem estar animal.

Veja Também