Em reunião no auditório da Embrapa

Tocantins recebe oficina para estruturação e implementação do Plano Norte + Sustentável

23/06/2022 15h27 - Atualizado em 23/06/2022 15h30
Foto: Delfino Miranda
Este evento consiste no diálogo e levantamento de informações para a estruturação do plano

Plano visa promover diretrizes eficientes e a convergência de políticas públicas agropecuárias sustentáveis aos estados da Amazônia Legal

Entidades representativas dos produtores rurais do estado do Tocantins e representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reúnem nesta quinta-feira, 23, no auditório da Embrapa, para a Oficina do Plano Norte + Sustentável. Este evento consiste no diálogo e levantamento de informações para a estruturação do plano que tem como premissa contribuir com o desenvolvimento territorial e a melhoria da qualidade de vida dos pequenos e médios produtores dos estados da Amazônia Legal.

Nesse primeiro momento, o intuito é identificar as cadeias produtivas e os territórios prioritários, buscando entender, a partir dos relatos de suas representações presentes, os principais desafios enfrentados e a situação atual para, com isso, colher subsídios no processo de estruturação e implementação do Plano Norte + Sustentável.

Oficina é realizada pela Superintendência Federal de Agricultura no estado do Tocantins (SFA/TO) e o Departamento de Programas Territoriais Rurais (DEPROTER) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em conjunto com Consórcio Interestadual da Amazônia Legal (CAL).

Raquel Santori, consultora do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) do DEPROTER, reforça que esse plano tem como objetivo a convergência das políticas públicas agropecuárias e o ordenamento do território, por meio da regularização fundiária e adequação ambiental e da produção, a partir de arranjos produtivos. “Isso levará a uma melhor organização e agregação de valor das cadeias agropecuárias, contribuindo para a geração de renda e de alimentos seguros e saudáveis, para a ampliação dos canais de comercialização e para a geração de novas oportunidades de negócios, com equilíbrio entre eficiência produtiva, beneficio social e conservação ambiental”, completou.

E, para contribuir de forma efetiva nesse processo de estruturação do plano, técnicos do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), órgão responsável pela execução estadual da assistência técnica e extensão rural ao pequeno e médio agricultor, estão presentes no evento, juntamente com representantes da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro); Agencia de Defesa Agropecuárias (Adapec); da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) /Pesca e Aquicultura; Universidade Federal do Tocantins; entre outros.

Para o diretor e Assistência Técnica e Extensão Rural do Ruraltins, Kin Gomides, esse plano é uma oportunidade de fortalecer o serviço da ater no Estado. “Um dos processos de discussão que a gente quer promover, e vê como oportunidade, é o fortalecimento da ater pública dentro da estruturação desse plano, promover uma estruturação empreendedora, e assim assegurar que o nosso extensionista tenha condição de atender o produtor de forma direta e contínua viabilizando as cadeias de interesse do Estado e dos territórios. Igualmente a gente tem discutido também o papel da regularização fundiária no nosso Estado como instrumento de execução das políticas públicas e o Ruraltins está buscando estruturar e apoiar por meio de financiamento de linhas de crédito, o acesso do produtor a tecnologias e inovação, assegurando os seus mecanismos produtivos e também o poder de competir com o mercado”, destacou.

Norte+Sustentável

O Programa Norte + Sustentável engloba os estados do Amapá, Acre, Amazonas, Pará, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso, Rondônia e Roraima; promovendo diretrizes eficientes e a convergência de políticas públicas agropecuárias sustentáveis a esses estados que compõe a Amazônia Legal.

Regularização fundiária, manejo florestal sustentável e fortalecimento de arranjos produtivos locais são alguns dos principais eixos deste plano.

Veja Também